SEJA BEM VINDO (A)!!!

O objetivo deste Blog é a interação entre as mais variadas formas de Arte, Consciência através do conhecimento e a busca por um crescimento Espiritual, em um aprendizado através da realização das obras e vida de seus autores.

sábado, 23 de outubro de 2010

MARIA MADALENA – OUTRA HISTÓRIA


Meus amigos, retorno ao assunto “Maria Madalena” por dois motivos.
O primeiro foi o término do quadro “Magdaleine Enlightned”, aliás, demorou um pouco a sua conclusão...
O mais importante é um estudo sobre Madalena pós-crucificação, a Lenda Dourada, que relata a vida de muitos Santos e também a de Maria Madalena, é uma das obras fundamentais da Idade Média. 
Traduzida para várias línguas, é a obra mais lida e mais editada de sua época. Foi escrita por Jacobo da Vorágine, monge italiano da ordem dos dominicanos, entre 1259 e 1266.
Nela se fala de Maria como uma pecadora, mas não como uma prostituta:
Maria, com o sobrenome de Madalena, do castelo de Magdalo, nasceu de pais ilustres, posto que descendiam do status real. Seu pai se chamava Syrus e sua mãe Eucharia.
Maria tinha em comum com Lázaro, seu irmão, e Marta, sua irmã, o castelo situado a duas milhas de Generaste, Betânia, e uma grande parte de Jerusalém.
Marta provia todo o necessário aos soldados, aos seus serventes e aos pobres. No entanto, Maria Madalena, Lázaro e Marta venderam todos os seus bens depois da ascensão de Jesus Cristo e levaram o dote aos apóstolos».
Marta e Lázaro eram seus irmãos.
Maria Madalena aparece pela primeira vez na Bíblia por volta do ano 25, situada em um povoado de pescadores, em Cafarnaum, na Galiléia, onde sua trajetória cruza a de Jesus, que adquiriu rapidamente a reputação de curandeiro e agregando cada vez mais seguidores e, Madalena, teve papel importantíssimo na condução dos apóstolos e seguidores do Messias.
Podemos dizer que devido ao seu papel essencial na ressurreição, chamaram-na de Apóstolo dos Apóstolos (Apostola Apostolorum). O fato de ter sido a primeira testemunha da ressurreição lhe outorga uma grande autoridade. Se o papel de Maria Madalena fosse divulgado de maneira correta e transparente os caminhos da Igreja seriam mais fraternos, respeitando toda e qualquer diferença, seja a cor, sexo, ideologia, etc .
A Lenda Dourada nos explica também a chegada de Maria Madalena à orla francesa a bordo de um pequeno barco desprovido de velas e remos.
Segundo a tradição havia muitas pessoas a bordo da embarcação, entre eles Marta, Sara, várias Marias, Lázaro, o bispo Maximino, José de Arimatéia, etc. «Foram introduzidos em uma nave pelos infiéis e abandonados no mar sem piloto para que fossem engolidos. No entanto, por milagre, eles desembarcaram no que é hoje Saintes-Maries-de-la-Mer».

Uma das provas mais antigas é o Tapiz del Exílio, com uma datação de mil oitocentos anos, que pertence a Jeremy Pine, antiquário americano que é o conservador permanente deste tesouro. Um fragmento deste tapete representa a fuga de Maria Madalena. É vista aureolada, com o cabelo avermelhado, levando uma marca na testa e dentro de uma embarcação de cor azul. Vemos várias pessoas, entre elas, um menino. Parece ver-se um cálice dentro das bagagens (Alguma coincidência com o “Código Da Vinci”?).

Em 1212, Gervais de Tilbury menciona por escrito que setenta e duas pessoas (homens e mulheres), discípulos de Jesus Cristo, foram expulsos da Judéia e ameaçados pelo mar em um barco desprovido de remos.
Segundo um especialista alemão, que adquiriu o Evangelho de Maria (o qual se perdeu, justo quando se começa a falar de Maria Madalena como prostituta), diz-se que Maria Madalena tem uma visão na qual Jesus lhe diz que ele vê sua nova imagem… Depois ela exorta os apóstolos a seguir as diretrizes de Jesus e a pregar seus ensinamentos aos não crentes.
Então Maria Madalena começa um papel rigoroso de apostolado e de evangelização. Ela converteu o sul da Gália ao cristianismo. Depois passa o resto da sua vida em uma gruta, em Sainte-Baume, situada ao sul da França. Muitos afirmam possuir relíquias de seus ossos e mechas de sua célebre cabeleira avermelhada.
Dizem que Maria Madalena viveu de alimentos divinos durante trinta anos nesta gruta, que vivia ali em penitência e submersa na contemplação, e que um dia desceu em direção à planície, até o oratório do Santo Maximino, e recebeu em comunhão o Corpo e o Sangue do Cristo. Morreu nos braços de São Maximino e sua alma subiu a escadaria em direção ao seu Salvador.
Muita luz meus queridos amigos.
Fred Domingos

2 comentários:

  1. Oi, Fred ! Parabéns pelo blog diferente, variado, revelativo, inspirativo, singular !! Sempre vou estar dando uma passada por aqui, com muito carinho e com muito interesse, caro irmão. Que suas palavras e suas obras sejam partilhadas ecoem mundo afora....
    Abraço cósmico,
    Rosane Amantéa.

    ResponderExcluir
  2. Gostei do quadro...meio Picasso...muito esotérico...enfim, a cara do blog...

    ResponderExcluir

Bem vindo ao meu Blog. Seu comentário é muito importante pra mim!!! Caso queira receber as atualizações é só cadastrar no canto direito no TAG "RECEBA POR E-MAIL". Obrigado e volte sempre!!!