SEJA BEM VINDO (A)!!!

O objetivo deste Blog é a interação entre as mais variadas formas de Arte, Consciência através do conhecimento e a busca por um crescimento Espiritual, em um aprendizado através da realização das obras e vida de seus autores.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

QUARTA DIMENSÃO – PROVÁVEL NA TEORIA DA RELATIVIDADE E/OU NO CUBISMO/SURREALISMO?



Em pesquisa a um site que, em poucas leituras, considerei cético sim, pois seu objetivo é questionar “mitos” e desconstruir “farsas”, seu endereço eletrônico é http://www.ceticismoaberto.com

…Entretanto, de tão superficial em suas abordagens, se torna não menos questionável que o conteúdo de seus artigos. Essa é a impressão sobre temas postados, nem sequer levando em consideração as entrevistas vinculadas atualmente pelo seu criador, o Ufólogo Kentaro Mori (clicando em seu nome, você pode contatá-lo por e-mail) além de superficial em suas afirmações, mistura teorias conspiratórias forjadas a fatos inexplicáveis de aparições de OVNI’s narrados por pessoas de origens rudes e simplórias, nunca citando fontes sérias, estudos comprovadamente reconhecidos por respeitados cientistas.

Um artigo que considero interessante e vale o comentário, refere-se a uma teoria sobre a Quarta Dimensão e relação com a Arte (daí o meu interesse), isso segundo seu idealizador, que certamente nunca ouviu falar de Albert Einstein e, muito menos, suas teorias e seus desdobramentos atuais, teoria das supercordas, relatividade tempo/espaço e a gravidade; teoria baseada apenas em princípios de geometria espacial (Geometria em 3D). Segundo pesquisas contemporâneas, existe uma conclusão que o elemento diferencial entre 3D e 4D e o fator “Tempo” e não “Espaço”,e sendo assim, não devemos considerar uma nova perspectiva espacial, a relatividade, nessa nova dimensão, é temporal.

Muito bem, vamos a compilação do trecho que justifica a teoria de uma 4ª Dimensão Espacial.


O tesseract, ou "hipercubo", é o objeto quadri-dimensional mais acessível, assim vale a pena tentar entendê-lo. Nós trabalhamos através de raciocínio indutivo, começando com um ponto e arrastando-o para traçar um segmento. Então arrastamos o segmento para traçar um quadrado, e arrastamos o quadrado para formar um cubo. O próximo passo é arrastar o cubo em uma quarta direção, perpendicular a todas as extremidades do cubo, resultando em um tesseract ou "hipercubo". O último passo, como sempre, é difícil de imaginar porque requer a quarta dimensão. Nós adquirimos uma noção com alguns desenhos:


Usando perspectiva podemos desenhar um cubo de forma um pouco diferente. Fazendo uma projeção semelhante ao hipercubo conduz à imagem tridimensional abaixo. Sua mente reconstrói a imagem de um cubo muito facilmente em uma imagem mental de "cubo". Faça o mesmo com o hipercubo e você deverá ter uma imagem tridimensional satisfatória de um cubo dentro de outro, com cantos conectados por linhas. Porém, esta é só uma imagem do hipercubo, projetada em nosso espaço usando perspectiva. O cubo menor no meio é menor porque está mais longe, naquela quarta direção. Para adquirir um senso ainda melhor do hipercubo, brinque com esta imagem estereográfica em movimento.


Imagens de perspectiva parecem naturais a nós em parte porque estamos acostumados a olhar para elas, especialmente como fotografias, e em parte porque nosso olho funciona de uma maneira semelhante. Mas na realidade a perspectiva resulta em tremenda distorção de imagens. Objetos próximos são mostrados grotescamente grandes enquanto objetos distantes ficam minúsculos. No começo do século 20, um grupo de pintores conduzido por Picasso e Braque conduziram uma cruzada contra a perspectiva tradicional. Eles defenderam não apenas que a perspectiva destrói a proporção, mas que na realidade nós não vemos como uma máquina fotográfica — nós vemos com dois olhos, e nossos olhos se movem para entender uma cena.

Embora muitos outros fatores tenham estado envolvidos, uma das idéias instrumentais no desenvolvimento do Cubismo era que a quarta dimensão poderia fornecer um ponto de vista para observar as formas não distorcidas de objetos.

Faço uma pausa para comentar a afirmação acima; o verdadeiro objetivo dos Cubistas de sua segunda fase, pois, na primeira, Cezàne repelia o estilo Renascentista, suas obras eram apenas pinturas, sua visão da realidade, e dessa forma, diferente da realidade em formas e cores; já na segunda fase, Picasso utilizava-se de conceitos de Geometria Descritiva (Transformava formas tridimensionais em bidimensionais) gerando as formas planificadas, de certa forma desproporcionais em figuras humanas e outras da própria natureza. Nunca foi citada a 4ª Dimensão em trabalhos Cubistas, nem existia um porquê, pois seus autores lidavam apenas com a transformação da 3D para 2D, simplesmente brincavam com com as formas, com o espaço.

 …os Cubistas tentaram retratar todos os lados de um objeto de uma só vez, como se vistos da quarta dimensão...

…  

Ironicamente, como a teoria de Einstein de relatividade foi aceita no começo dos anos 20, sua definição elegante do espaço-tempo quadridimensional matou o romance entre o público e a quarta dimensão do espaço. Agora que os físicos estavam tratando o velho tempo como uma quarta dimensão, especulações sobre "outras" direções misteriosas pareciam absurdas, e a quarta dimensão desapareceu da arte e literatura…  

Ironicamente, Einstein, definição elegante que matou o romance entre o público e a quarta dimensão… O que ele está querendo dizer com essa estorinha?

Finalizo este artigo com tantas dúvidas quanto, ou mais, as iniciais; concluo apenas que, em meu entendimento, isso é uma desinformação. Em um “post” anterior comentei sobre comparações absurdas entre autores e estilos diferentes; pensei ser o ápice da desmotivação à apreciação da Arte, ledo engano.

Amigos tirem suas próprias conclusões.

Abraço a todos.

Fred Domingos

Obra: Guernica de Pablo Picasso

2 comentários:

  1. Tenho que deixar registrado que achei a teoria complexa demais para o meu entendimento...li e reli tentando chegar a uma conclusão , mas me perdi na parte onde entra o tempo nessa história toda... vou continuar tentando!

    ResponderExcluir
  2. A Querta Dimensão é uma realidade intuída por gênios da pintura e confirmada pelos físicos e outros cientistas atuais, não apenas teoricamente mas,praticamente, embora com partículas pequenas. Tem um site para participar das pesquisas efetuadas no Acelerador de Partículas na Suiça. Infelizmente estou sem o nome agora, mas é só pesquisar e ler o material para leigos em Física de Partículas. Abraços

    ResponderExcluir

Bem vindo ao meu Blog. Seu comentário é muito importante pra mim!!! Caso queira receber as atualizações é só cadastrar no canto direito no TAG "RECEBA POR E-MAIL". Obrigado e volte sempre!!!